Na última semana de janeiro, dos dias 25,26 e 27 o pavilhão 4 do Riocentro recebeu a segunda edição do evento, consolidando-se como o maior evento de cultura japonesa do Rio de Janeiro.
Este ano, pouco antes da entrada no pavilhão, o Rio Matsuri contou também com algumas atrações externas, como exposição de itens do Centro Cultural do Consulado do Japão e paineis contando a história da imigração japonesa no Rio de Janeiro. Outra novidade de 2019 foi o aplicativo do evento, que além de mais detalhes sobre as atrações disponibilizava também o acesso gratuito a internet para os visitantes.

Este ano, foi reservado um espaço maior para a área de alimentação, com várias opções incluindo takoyaki, okonomiyaki e lamen, mas a espera pelo pedido em alguns estandes deixava muito a desejar, assim como a quantidade que foi servida em relação ao preço cobrado. As filas são sempre enormes principalmente na hora de pegar e muitos andavam com seus pratos na mão sem ter onde sentar para comer. Apesar de ter aumentado o espaço para cadeiras e opções de estandes, depois de passar um tempo esperando na fila, ficava mais difícil ainda encontrar uma mesa para se acomodar. Realmente nos grandes eventos é uma situação recorrente e merece cuidado nos próximos, já que a tendência do público é aumentar a cada nova edição. Ainda não foi divulgada a data, mas a certeza do Rio Matsuri 2020 já foi garantida com o banner de despedida na saída do evento.
IMG_7513.JPG
A programação foi intensa com workshops, apresentações no palco, vários estandes complementando a riqueza da cultura japonesa, dando o gostinho aos cariocas de experimentar  um pouco do outro lado do mundo. Workshops de mangá, ikebana, shodo, cerimônia do chá,  pratos da culinária japonesa, dentre outros. Havia também um adorável espaço para o Tanabata Matsuri, onde as pessoas penduravam seus desejos escritos no tanzaku (os papeizinhos coloridos) e pendurados nos ramos de bambu.
Para os interessados nas compras, estandes não faltaram e diversificaram-se com itens que iam desde a cultura pop até os mais tradicionais, como louças e kimonos. A Hello Kitty marcou presença levando um pouco dos dois lados deste mundo, com a loja recheada de bolsas, pelúcias e várias coisas de encher os olhos de adultos e crianças e para quem quisesse um toque mais tradicional, tinha kimonos com a estampa da gatinha para as pequenas e pequenos. Além disso, os visitantes podiam tirar fotos com a própria Hello Kitty, convidando todos para visitarem sua loja.
Os cosplayers também marcaram presença no evento, junto com as lolitas e suas saias enormes que parecem bolos confeitados. Apesar do calor digno do bordão novelesco de “queimar no mármore do inferno”, o maior pavilhão do Riocentro estava muito bem climatizado, essencial para o bom andamento do evento e o bem estar do público.
O palco recebeu apresentações de grupos de taiko, o concurso Miss Nikkey do Rio de Janeiro, seletiva do concurso mundial de cosplay, apresentação de kabuki, show de vários cantores e a apresentação do Bucket Drummer Masa, conhecido por produzir seus instrumentos com materiais reciclados.
Para quem não se contenta apenas em passear pelo Rio Matsuri, o estande do Centro Cultural do Consulado no Rio de Janeiro estava à disposição tirando as dúvidas sobre vistos e as bolsas de estudos disponíveis no Japão.
Confira abaixo o vídeo da nossa cobertura do evento!
Não faltou programação e atividades para todos os segmentos da cultura japonesa mas se você ainda quer mais porém não aguenta esperar até 2020 para o próximo Rio Matsuri, em São Paulo terá o Festival do Japão no mês de julho! Dá tempo de se programar para ir e mergulhar em mais uma parte do Japão no Brasil! E em 2020 parte do Japão estará no Rio novamente, não esqueça, hein!

hello__it_s_me_again_by_vivianemakoto-dby8t4k
Post por Makoto, que enfim matou a saudade de comer okonomiyaki!