Hoje é dia da pergunta de 1 milhão de dólares!

“Em quanto tempo fico fluente em japonês?” Quem nunca se fez essa pergunta quando começou a estudar ou perguntou a alguma professora (o), não é mesmo?

A resposta para essa pergunta depende do objetivo que você pretende alcançar estudando japonês. O que é “ser fluente” para você? É ir ao Japão e conseguir se comunicar sem problemas? Saber ler os avisos dos trens, pedir comida nos restaurantes, saber pedir informações a qualquer nativo e entendê-las? Ou ainda, falar a língua com perfeição e escrever tudo corretíssimo sem nenhum erro gramatical? Ler absolutamente qualquer coisa e entender tudo de cara sem precisar pesquisar nada?  Como deu para perceber, não é muito fácil chegar a uma resposta exata porque ela não existe, cada pessoa pode pensar sobre isso de uma forma diferente. Porém, você pode ter uma ideia do quão proficiente é de acordo com os parâmetros instituídos com a criação do exame de proficiência (JLPT). Desde 2010, a avaliação é dividida em 5 níveis (foi acrescentado mais um nível para que a dificuldade de um para o outro não ficasse mais tão gritante): N5, N4, N3, N2, N1. Sendo que N5 é o nível mais básico e o N1 é o mais avançado e em cada um deles há competências esperadas do estudante, que estão listadas no site oficial da prova e que você pode conferir aqui.

Agora, quanto tempo levar de um nível para o outro? Bom, até o N3 em mais ou menos 1 ano você consegue passar pelos níveis. Claro que tudo é relativo, né. A gente deixa aí “no ar” esse 1 ano, mas obviamente depende da sua dedicação no estudo, da sua disciplina em seguir um ritmo constante dentro de um determinado período. E não menos importante, o tempo disponível que você tem. Pois se você é alguém que pode dedicar 100% do seu tempo ao estudo do japonês, esse tempo de 1 ano pode ser até menor. Mas sabemos que a maioria das pessoas têm outras atividades no seu dia-a-dia e daí a importância de você reservar seu tempo e criar uma rotina de estudos no tempo que é possível, nem que sejam 10 minutos diários!

E do N2 até o N1?

Aí, o tempo vai ser maior, a coisa complica mais um pouco! Vamos deixar no ar uns 2 ou 3 anos, isso se o estudo for constante, porque não adianta estudar com toda disciplina por um ano inteiro e no próximo reduzir drasticamente ou parar para tentar retomar o ritmo depois reaprendendo o que já esqueceu (e é sério, hein… passou um tempinho sem estudar, você já começa a esquecer e depois tem que reaprender). É bem comum ver pessoas que estão estudando por 7, 8 anos (ou mais!) até passarem em todas estas provas ou pelo menos chegarem a um nível em que se considerem proficiente, fluente.

“E aí, agora estando na alegria, passei em tudo, já posso parar de estudar?”

MAS É CLARO QUE NÃO, JOVEM!

Mantenha em mente um fato importantíssimo na sua cabeça: o estudo não tem fim. Se você estuda uma língua, as coisas para você aprender NUNCA vão acabar. Porque a língua muda através dos tempos. Palavras novas são criadas, expressões novas são criadas! Se a língua fosse algo estático, talvez desse para colocar numa caixinha e dar a alguém de presente: “Aqui está tudo de japonês para você aprender, pode começar a estudar que em 5 anos você será fluente e saberá absolutamente tudo!”. Legal essa resposta, né? Pena que com a língua japonesa (nem com a inglesa, francesa, coreana…) ela nunca poderá ser usada.

PORÉM siga firme, os resultados vão aparecer claramente se mantiver seu ritmo!

Agora, dá uma espiada na Monica-sensei falando sobre isso no vídeo abaixo e ganbatte nos seus estudos!